Curiosidades

PEQUENO DICIONÁRIO DE TERMOS COREANOS

구령
Kuryong
Comandos

세기
Segui
(contagem) Números puro-coreanos

한자
hanja
Números sino-coreanos

인신
Insa
Corpo Humano (Partes do corpo)

인사
Insa
Saudações

방향
bang hiang
Direções

높이
Nopi
Alturas

기본서기(자세)
Kibon Sogi (jase)
Posições básicas

동작기본
Kibon donjak
movimentos básicos

지르기
Jirugui
soco

주먹
Jumok
Punho Fechado

서기술
Tchigui
Técnicas de Bater

막기
Makki
Bloqueios

손목착기
Sonmok chapki
Técnicas de agarre as mãos

옷숳
Ot sul
Técnicas de agarre a roupa


Son
mão

기법
Kibop
Técnicas

기본 발차기
Kibon Bal Tchagui
chutes básicos

낙법
Nakpop
método de cair


Han
Coreano

신무
Shin Moo(Sinmu)
Espirito Marcial

합기도
Hap Ki Do
Caminho da união da energia

브라질
Burasil
Brasil

구령-Kuryong (Comandos)
형성
Hiong song
Formação

무릎꿇어
Murup Kuro
Ajoelhar-se

일어서다
Irosoda
Levantar-se

뛰가
Tuiga
Correr

앉아
Anja
Sentar

개시
Keshi
Contar ate 10

헤치어
Retchio
Dispersar

시작
Shijak
Começar

쉬어
Shio
Descansar


Ne
Sim

아뇨
Anio
Não

결말
Kiolmal
Parar-Fim

준비
Jumbi
Preparar

계속
Kiesok
Continuar

차렷
Tchariot
Atenção/Sentido

경례
Kiong re
Saudar

바로
Barô
Voltar

뒤로돌아
Tuiro tora
Meia volta para trás

걷기
Kotgui
Andar

아픔
Apum
Esta doendo

운동준비
Undong junbi
Preparar para exercício


Ti
Faixa

도복
Dobok
Roupa

바꾸어
Balbacô
Trocar lado (perna)

세기 Números

1
하나
rana

2

tul

3

set

4

net

5
다섯
tasot

6
여섯
iosot

7
일곱
ilgop

8
여덟
iodolp

9
아홉
arrop

10

iol

11
열 하나
iolrana

20
스물
sumul

30
서른
sorun

40
마흔
marrun

50

suin

60
예순
iesun

70
일흔
ilrrun

80
여든
iodun

90
아흔
arrun

100

pek

1000
일천
iltchon

인신 Corpo Humano (Partes do Corpo)


mom
corpo


son
mão

손목
sonmok
pulso

어깨
okke
ombro


Mok
pescoço

구리
Kuri
Costas “Costelas”

수도
sudo
faca da mão

정강이
jongkang i
canela

무릎
murup
joelho

넓적다리
noltchoktari
coxa

다리
tari
perna


shok
sola do pe/Bola do pe

족도
shokdo
faca do pe

앞족
apshok
bola do pe


pal

발등
paldung
peito do pé

팔꿈치
palkumtchi
cotovelo

뒤축
duitchok
calcanhar

뒤꿈치
duikumtchi
calcanhar

발꿈치
palkkumtchi
calcanhar


chok
sola do pé

앞족
ap chok
bola do pé (metatarso)

머리
moli
cabeça


kwon
punho

주먹
jumok
punho serrado

얼굴
olgul
rosto

목덜미
Mokdolmy
Nuca

뒷덜미
duidolmi
Nuca

겨드랑이
kiodurangui
Axilla

몸통
montong
tronco

발목
palmok
tornozelo

단전
tanjon
abdômen

수도
sudo Dung
Região abdutora do polegar da mão aberta

손둥
Son Dung
Dorso da mão

변손끝
Pyon Sonkut
Pontas do dedo da mão aberta

가위 손끝
Kaui Sonkut
Ponta dedo indicador e médio em forma de tesoura

손바닥
Batak Son
Base da palma da mão

손아귀
Akui Son
Região abdutora dos dedos polegar e indicador

팔목
Palmok
Região do Pulso

바깓 팔목
bakat Palmok
Face media do antebraço

안 팔목
An Palmok
Face lateral do antebraço

둥 팔목
Dung Palmok
Face posterior do antebraço

밋 팔목
Mit Palmok
Face anterior do antebraço

인사 Insa – Saudações

차렷
tchariôt
atenção/sentido

경례
kiong re
saudar

바로
barô
voltar

국에대하여
kuk e Derraio Kiunre
saudação as Bandeiras

관잔닌경례
Kwan Jang Nim Kiunre
saudação ao Grão Mestre

사범닌 경례
Sa Bom Nim Kiunre
saudação ao Mestre

교사닌경례
kiossanin
saudação ao professor

안녕하십니까
aniong hashipnikka
bom dia / boa tarde / boa noite

안녕히가세요
aniong hi kaseio
tchau (usado por quem fica)

안녕히계세요
aniong hi kie seio
tchau (usado por quem vai embora)

안녕히세요
aniong há seio aniong há seio
você esta bem? E você responde

미안합니다
mianhapnida
desculpe / de nada

방향 – Direções

사처
satcho
4 lados

사본
sapon
4 lados

팔방
palbon
8 lados


uin
lado esquerdo

오른
orun
lado direito

바깥
bacat
fora


an
dentro


ap
frente


tui
trás


iop
lateral


shuuk
lateral


ui
parte de cima/cima (uiro – para cima)

빗로
pitro
diagonal

올리기
olligui
subindo

높이-nopi alturas

하단
radan
nível inferior

중단
chungdan
nível médio

상단
sangdan
nível superior

아래
are
parte baixa

몸통
montong
tronco

얼굴
olgul
rosto

기본 서기 (자세) – Posições Básicas

방호서기
Bang ho sogui
Posição de defesa mãos abertas

공격서기
Kongkyok sogui
Posição de ataque mãos fechados

공격자
Kongkyok
já Atacante

방호자
Bangho
já Defensor

서기
Moa sogui
Base com os pés fechados

나란히 서기
Naranrri sogui
Base com os pés abertos na largura do ombro

Jutchum jase
Base sentado (agachado)

앞서기
Ap sogui
Base frontal (passo normal)

앞굽
Ap kub
Base de passo penetrado e flexionado

뒤굽
tuikub
Base em “L” flexionada

꼬서기
Co sogui
Base cruzada

Kibon Donjak기본동작 (Movimentos básicos)

지르기
Jirugui
Soco

치기
Tchigui
Bater

찌르기
Tzirugui
Perfurar

찍기
Tchiki
Enfiar

긁기
kulkki
Arranhar

막기
Makki
Defesa

베기
Pegui
Retirar

차기
Tchagui
Chute

올리기
Olrigui
subindo

밀기
Milgui
Empurrar

펴기
Pyogui
Abrir

지르기 Jirugui -Soco

반대 지르기
Bandê Jirugui
Soco direto

바로 지르기
Barô Jirugui
Soco indireto

앞 지르기
Ap Jirugui
Soco para frente

얼굴 지르기
Olgul Jirugui
Soco no rosto

몸통 지르기
Montong Jirugui
Soco no tronco

아래 지르기
Are Jirugui
Soco para baixo

내려 지르기
Neryo Jirugui
Soco descendo

옆 지르기
Yop Jirugui
Soco para o lado

지르기
Seo Jirugui
Soco com o dorso do punho virado para o lado

돌려지르기
Dollyo Jirugui
Soco curvado para a lateral

뒤 지르기
Dwi Jirugui
Soco para trás

표적 지르기
Pyojok Jirugui
Soco no alvo

당겨턱지르기
Dangkyo Tok Jirugui
Puxa o soco no queixo

주먹 Jumok ( Punho cerrado)
펴주먹
Pyo Jumok
Punho aberto

밤주먹
Bam Jumok
Punho com os dedos dobrados

집게
Jip-Ke Jumok
Punho com os dedos do polegar e indicador

메주먹
Me Jumok
Punho lateral – lado do mínimo

둥주먹
Dung Jumok
Punho com as costas da mão

치기술 Tchigui – Técnicas de bater
멱 치기
Mok Tchigui
Bater no pescoço

바깥 치기
Pakat Tchigui
Bater para fora

앞 치기
Ap Tchigui
Bater para frente

턱 치기
Tok Tchigui
Bater no queixo

옆 치기
Yop Tchigui
Bater para o lado

표적 치기
Pyojok Tchigui
Bater contra o alvo

몸통 치기
Montong Tchigui
Bater no peito

뒤 치기
Dwi Tchigui
Bater para trás

내려 치기
Neryo Tchigui
Bater descendo

안 치기
An Tchigui
Bater para dentro

올려 치기
Ollyo Tchigui
Bater levantando

돌려 치기
dollyo Tchigui
Bater virado

막기 Maki ( Bloqueios)
아래 막기
Are Maki
Defesa em baixo

몸통 막기
Monton Maki
Defesa no tronco

얼굴막기
Olgul Maki
Defesa alta

헤쳐막기
retchio Maki
Defesa abrindo o antebraço

옆막기
Yop Maki
Defesa na lateral

막기
Otkoro Maki
Defesa com os braços cruzados

막기
Kodurô Maki
Defesa com o outro braço apoiado

바깓 막기
Pakat Maki
Defesa para fora

안 막기
An Maki
Defesa para dentro

누르 막기
Nulo Maki
Defesa pressionando

빗로막기
Pitro Maki
Defesa torcendo

쭉여 막기
Tchukio Maki
Defesa levantando

손목착기 Sonmok chapki: Técnicas de agarre as mãos

바깓 손목착기
Bakkat sonmok chapki
Agarre da mão exterior

안손목착기
An sonmok chapki
Agarre de mão interior

옆손목착기
Yop sonmok chapki
Agarre de mão lateral

양손목착기
Yang sonmok chapki
Agarre frontal as duas mãos

뒤손목착기
Tui (yang) sonmok chapki
Agarre por detrás as duas mãos

두손목착기
Du sonmok chapki
Agarre com as duas mãos a uma mão

몸착기
Mom chapki
Agarres ao corpo

앞몸착기
Ap mom chapki
(Agarre frontal, braços fora) (braços dentro)

뒤몸착기
Tui mom chapki
(Pelas as costas, braços fora) (braços dentro)

옷숳Ot sul (Técnicas de agarre a roupa)

소매 착기
Some chapki
manga

팔굽 착기
palkup chapki
Cotovelo

어깨 착기
Okke chapki
Ombro

목덜미 착기
Mokdolmy chapki
Nuca

가슴 착기
Kasom chapi
Ao peito

멱살 착기
Myoksal chapki
colar

옆구리 착기
Yop kuri chapki
De lado as costas

띠착기
Ti chapki
faixa

뒤 목덜미착기
Tui mokdolmy chapki
Nuca por detrás

뒤T양 어깨착기
tui yang okke chapki
Ombros por detrás

뒤 팔굽착기
Tui palkup chapki
Cotovelos por detrás

(머리카락착기
moli karak
Cabelo)

손 Son-mão

두 손목
Du son Mok
Agarre de uma mão com duas mãos

양 손목
Yang Son Mok
Agarre de duas mãos c/ duas mãos

기법técnicas

단전호흡
tanjon hohup
Tecnicas de respiração abdominal

권법
kwon pop
técnicas com as mãos

던지기
donjigui
Projeções

빼기술
pegui sul
técnicas de retirar as mãos

치기 술
tigui
técnicas de bater

꺾기술
kokki sul
técnica de torcer

겨루기
kiorugui
competir/lutar

기법
kipop
técnica

호신술
Roshin sul
técnica de defesa pessoal

막기
makki
defesa

막고
makko
defesa com ataque ou outros movimentos

피자기술
Pijagui sul
Técnicas de esquiva

좌술
Choa Sul
Técnicas sentado

고정 술
Kochong Sul
Imobilizações no solo

목조르기
Mokchorugui sul
Estrangulações

방칼술
Bangkal sul
Defesa de faca

잡기술
Chapki sul
Técnica de segurar (Com a mão)

기본 발차기-Kibon Bal Tchagui – chutes básicos

As nomenclaturas dos chutes se tornam necessárias devido a especificações do tipo do chute, parte onde se bate ou qual a parte do pé ou perna você deve bater

표적발차기
Pyojok pal tchagui
Chute no alvo

뒤꿈치 차올리기/뒤꿈치 차내리기
dui kum tchi tcha olrigui / dui kum tchi tcha nerigui
Chute com calcanhar subindo/-chute com calcanhar descendo

족도 차올리기/족도 차내리기
Shokto tcha olrigui/shokto tcha nerigui
chute com faca do pé subindo/ chute com faca do pé descendo

안다리 차기
Antari tchagui
chute para dentro

바깥다리 차기
Bakkatari tchagui
chute para fora

족도 차넣기
Shokto tcha no ki
chute com faca do pé para frente

발등 찍기
Pal dung tchi gui
Batida com peito do pé

옆차기
Iop tchagui
chute lateral

뒤꿈치 차돌리기
Duikumtchi tcha dolrigui
chute circular com o calcanhar (chute gancho)

뒤차기
Tui tchagui
Chute para trás (chute giratório chutando de costas)

돌려차기(공중 돌려차기/회전 돌려차기)
Dolrio tchagui (Kong Jung dolrio tchagui/hoijun dolrio tchagui)
Chute giratório pelo lado das costas

조끼 지르고 발등찍기
Tchukki jirugo paldung tchigui
Chute com metatarso seguido de chute com peito do pé

상/하단 발등찍기
Sang/ha dan paldung tchigui
Alto/baixo batida com peito do pé

상/하단 옆차기
Sang/há dan iop tchagui
Alto/baixo chute lateral

하단 돌려차기(공중 하단돌려차기/회전 하단돌려차기)
Há dan dolrio tchagui (Kong Jung há dan dolrio tchagui /hoijun há dan dolrio tchagui)
chute giratório baixo pelo lado das costas

모두 발차기
mo du bal tchagui
chute com as duas pernas

양발 벌려차올리기
iang bal bulrio tcha olrigui
chute com as duas pernas abrindo e subindo

이단옆차기
idan iop tchagui
voadora lateral

모듬발 발등찍기
mo dum pal paldung tchikgui
chute duplo com o peito do pé a frente

가위차기
kaui tchagui
chute tesoura

외발 발등차기
uibal paldung tchagui
chute com peito do pé para cima (levantamento)

돌치고차기
Dol tigo tchagui
Chute com o peito do pé girando


ttuim
pulando

낙법 – Nak Pop – Quedas / rolamentos

오뚜기식 후방낙법(좌선/입식)
Otugui shik rupang nakpop (joa son/ip shik)
queda de costa trocando lados sentando e levantando

정면 무성낙법
Tchonmion musong nakpop
Rolamento silencioso

후방입기
Rupang ipki
levantamento pelas costas

전방낙법
Chon bang nakpop
queda para frente

후방낙법
Rupang nakpop
queda de costas

측방낙법
Shuk bang nakpop
Queda de lado

회전낙법
Hoi jun nakpop
queda rolando ou apenas rolamento

공중 회전낙법
Kong Jung hoijun nakpop (kunjan)
queda circular para frente caindo de lado

복근낙법/180˚ 회전낙법
pokkun nakpop/180˚ hoijun pokkun nakpop
Queda com o abdômen amortecendo/ queda com o abdômen girando

높이 정면 무성낙법
Nopi tchon mion mu song nakpop
Rolamento em altura silencioso

멀리 정면 무성낙법
Molli tchon mion mu song nakpop
Rolamento em distancia silencioso

정면무성낙법 후방입기
Tchon mion mu song nakpop rubang ipki
Rolamento para frente e levantamento para trás silencioso

Tchomion
Frente

Hoijun
girando/rodando

Molli
distante

Pongul
abdomen

Ipki
levantamento

Musong
silencioso

Rubang
tras

Chonbang
frente

shuk
lateral

nopi
altura

= = = = = = = = = = = F I M = = = = = = = = = = =


O Hapkido de Jin Pal Kim, “O Tigre Voador”

O mestre de Hapkido de Jackie Chan, Sammo Hung, Angela Mao e Carter Wong.


Mestre Jin Pal Kim executando chute duplo

Mestre Jin Pal Kim executando chute duplo




Jin Pal Kim e sua técnica
Você alguma vez já se perguntou onde as estrelas dos filmes de ação de Hong Kong Jackie Chan, Angela Mao, Carter Wong, e Sammo Hung tiveram seu treino de artes marciais? Não foi de um sábio mestre de Kung-Fu que se especializa em técnicas “secretas”. Na verdade, estes quatro atores, assim como outras estrelas, aprenderam suas técnicas de luta com um instrutor sul-coreano especializado em Hapkido. Este mesmo é uma estrela do filmes de Hong Kong. O nome do mestre é Jin Pal Kim, um instrutor muito bem qualificado e treinado pelo “fundador” do Hapkido Ji Han-Jae. Nos anos 60, Kim foi membro do serviço secreto das forças defensivas, comandado por Chung Hee, e em 1966, pegou o emprego de guarda-costas pessoal do então presidente dos Estados Unidos Lyndon B. Johnson durante sua visita a Coréia do Sul. Em meados dos anos 70, foi para Hong Kong, abriu uma escola de Hapkido e entrou para o ramo artístico. Kim, que hoje vive em Westminster, California, estrelou em 8 filmes de artes marciais, todos produzidos pela terceira maior companhia de filmes de Hong Kong, a Kai Fa Productions.

O Tigre Voador
Kim é bem preciso em técnicas de chute, o que lhe rendeu muitos alunos artistas em sua escola de Hapkido Kowloon. Antes de Bruce Lee estourar nas telas, a maioria dos filmes de Hong Kong mostravam chutes de baixa a média altura. Mas Lee excitou sua platéia com chutes bem altos, ou chutes com pulos, criando uma demanda de novas e mais dinâmicas técnicas para os filmes de artes marciais. “Nos dias de hoje, a maioria dos filmes de artes marciais de Hong Kong contém apenas armas tradicionais de Kung-Fu e técnicas baseadas em diversos animais tiradas das formas de animais do Kung-Fu,” Nota de Kim. “Seus punhos eram fortes e rápidos o bastante, mas faltava algo para que as lutas parecessem mais realísticas. Então Bruce Lee apareceu e nomeou seu próprio estilo com chutes altos, rápidos e com pulos que aprendeu com o mestre do Tae Kwon Do Jhoon Rhee. A platéia gostou tanto do novo estilo, que os outros artistas não tiveram outra escolha, se não aprender técnicas coreanas.” Kim, que combina velocidade, mente e corpo para dar chutes perfeitos, também gosta do seu sucesso entre a audiência de Hong Kong. Seu estilo de chutes altos era tão popular que ele recebeu o apelido de “Tigre Voador”, um título que depois virou o nome de sua escola.

Jackie Chan treina o Hapkido
Segundo Kim, a maioria dos estilos de Kung-Fu não usam a perna de base como pivô, dificultando os chutes altos. Embora seus chutes baixos sejam efetivos, eles não têm chances de competir com a técnica de Bruce para aparecer nas telas. Os estilos tradicionais chineses não contém pulos, vôos ou tesouras feitos de várias maneiras nos filmes de artistas como Jackie Chan e Sammo Hung. Chan, Hung e Mao começaram na ópera chinesa, um histórico com muitas acrobacias, artes marciais, cantoria e atuação. Chan começou a atrair a atenção do público nos anos 70 com seu filme de comédia e artes marciais “Mestre Invencível” (Drunken Master). Ele começou a treinar com Kim logo depois disso, e ainda atribui seu único treinamento oficial de artes marciais à Kim. “Quando Jackie veio pela primeira vez a minha escola, seus chutes não eram muito bons,” Diz Kim. “A maioria de suas cenas de dublê envolvem rolamentos e ginástica, técnicas que ele conseguiu na “Escola da Ópera de Pequim”. Contudo, com sua flexibilidade e experiência, Jackie logo aprendeu Hapkido.” Chan recebeu a faixa preta em Hapkido, aprendendo tudo sobre a arte, e se especializando em defesas pessoais e técnicas de chutes. Ele também aprendeu facilmente manobras aéreas como voadoras, giratórios e tesouras aéreas.

Usando o Hapkido
O golpe favorito de Jackie é o chamado “A águia pula e pega sua vítima”. É uma técnica utilizada quando o oponente vem de frente, o artista marcial primeiro pula sobre o adversário, usando-o como se ele fosse um degrau de uma escada, depois ele ou dá um chute na cabeça do adversário, ou dá um chute guilhotina nas costas do oponente. Chan ensinou Hapkido para seus 20 membros do seu grupo de dublês. Chan coloca realismo em suas cenas de luta, e cada um de seus dublês sabem técnicas de chutes, vôos e quedas. Hoje, Chan é o ator mais cobiçado na Ásia, graças, em grande parte, ao seu treinamento de Hapkido com Kim. “Mesmo antes de ser famoso, Jackie foi uma das pessoas mais esforçadas que eu já conheci,” Diz Kim. “Ele levava o Hapkido a sério, praticando horas por dia.” Sammo Hung, conhecido pelo seu tamanho e por sua aparência inofensiva, é também um talentoso lutador. Ele foi à Coréia do Sul em 1973 para estudar diretamente com o mestre de Hapkido Ji Han-Jae, quando o público de Hong Kong queria chutes mais rápidos e altos. Quando Hung voltou para Hong Kong, continuou estudando com Kim.

Hapkido nos filmes


Angela Mao, Carter Wong e Sammo Hung, em cena do filme Hapkido (1972)




“Sammo Hung é incrívelmente flexível para um cara tão grande,” Kim relata. “Como Jackie Chan, Sammo ganhou essa flexibilidade na “Escola da Ópera de Pequim”. Ele não teve problema algum com qualquer chute de Hapkido ou técnica de arremesso.” O chute favorito de Sammo, repetido muitas vezes em vários de seus filmes, é um chute frontal duplo. Uma difícil técnica que exige que as duas pernas simultaneamente se levantem, executando assim o chute. Além disso, Hung virou “expert” em técnicas de derrubar e imobilizar do Hapkido. Angela Mao, que fez o papel da irmã do Bruce Lee no filme “Operação Dragão” (Enter the Dragon) é outra faixa preta de Kim. Com uma habilidade acrobática fenomenal devido ao treinamento na escola da ópera, Mao gosta de chutes giratórios, e treinou com Kim por mais de 2 anos. Carter Wong, outra estrela do cinema de Hong Kong, também passou anos na escola de Kim. Diferente dos outros, Wong estudou Karatê, e embora consiga dar chutes frontais e rotatórios efetivamente, ele prefere técnicas de mão. De acordo com Kim, uma das vantagens do Hapkido em termos de filmes, é que ele inclui uma grande variedade de técnicas com as mãos que encaixam perfeitamente nos filmes. Todos os estudantes de Kim estudaram técnicas com armas coreanas, e podem usar 1 ou 2 bastões contra o oponente. Podem até incluir os bastões às técnicas normais. O treino com os bastões foi fácil devido à experiência dos praticantes com outras armas do Kung-Fu. Da próxima vez que você assistir à um filme de Jackie Chan ou Carter Wong dando chutes altos e rápidos, perceba quantas técnicas são do Hapkido. É tudo devido ao treino com o mestre Jin Pal Kim.

Fonte: JCBR (www.jackiechanbr.cjb.net)




Saiba mais sobre o KI




Nomenclaturas e definições:
Ki, Ch’i, Chi, Qi, Khí, Gi entre outras expressões orientais relacionadas com o ideograma Chinês “氣” ou Coreano 기.
Pode ser traduzido como ENERGIA VITAL E/OU INTERNA
Conhecido como Chi ou Qi na China ou como Ki no Japão e Qi ou Gi na Coreia, como Prana na Índia , Pneuma na Grécia, Força Divina, Princípio Vital ou como Energia Vital ou Universal em outras culturas e muitas outras designações.


O significado do ideograma na sua forma tradicional mais conhecida, é uma imagem de um recipinte exalando vapor, proveniente do cozimento do arroz.





Sabe-se que o arroz é a base da alimentação na região do Oriente, e nada representa melhor o conceito de energia.
É frequentemente traduzido como “ar”, “fôlego” ou “respiração”.
Concepções filosóficas do Ki são encontradas desde o início da história registrada do pensamento Oriental.
O Ki representa o fluxo sanguíneo, o alento, a circulação energética dos meridianos, a energia da nossa alimentação, o odor, e tantos outros… o Ki é uma referência em vários aspectos da vida quotidiana oriental.
Referências ao Ki ou conceitos filosóficos semelhantes relativos a um tipo de energia metafísica que permeia e sustenta os seres vivos ,são encontradas em vários sistemas de crenças, presentes em culturas de todo o mundo, especialmente na Ásia.

Tradicionalmente são mencionados dois tipos de Ki: o Ki inato ou o Ki adquirido. Quando nos referimos ao Ki inato referimo-nos a uma quantidade limitada de energia vital que nos é atríbuida aquando do nossos nascimento, por transmissão dos nossos pais. o Ki adquirido provém da nossa alimentação e do ambiente que nos rodeia.

Apesar do conceito de Ki ser muito importante em diversas filosofias orientais, sua descrição é variada e inclui aspectos conflitantes entre as diferentes versões. Algo natural considerando-se os milhares de anos, os diversos países e grupos sociais que participam da elaboração desta tradição.

A grande duvida é se o Ki existe como uma força separada da matéria, se o Ki surge a partir da matéria ou se a matéria surge do Ki.
Alguns budistas e taoistas são a favor do terceiro conceito, alguns budistas acreditam que a matéria é uma ilusão.

Os neoconfucionistas assumem outra posição: criticam a noção de que o Ki exista separado da matéria, acreditam que o Ki emerge das propriedades da mesma.

O KI tem um papel importante em tudo o que fazemos. Para favorecer o equilíbrio orgânico e espiritual, pode ser acumulada e guiada pela mente. Os xianêses levam muito a sério o KI, que chamam de Tchi (dependendo do sistema de romanização pode ser escrito Qi, Chi ou Ki). Estudaram a energia KI por centenas de anos e descobriram que há vários tipos diferentes de KI.
O “Clássico de Medicina Interna do Imperador Amarelo”, de mais de 4 milênios de idade, lista 32 diferentes tipos de KI.

Aqui serão citados alguns tipos:
KI, Como Energia Vital

KI, é a força da vida, a energia imaterial onipresente que no seu fluxo anima todos os seres vivos e permeia o Universo, ligando todas as coisas como um todo. É a energia básica que media o físico com o espiritual, através da qual o humor e o pensamento agem sobre o mundo físico. Sendo fluída e onipresente, os antigos a consideravam o próprio ar; como tem a ver com o estado de espírito, associavam a ela também o humor. Sua qualidade determina sua cor, que só pode ser vista por pessoas sensitivas.
Enquanto um ser está vivo, possui força vital circulando-o e cercando-o; quando morre, a força vital o deixa. Se sua força vital está baixa, ou há restrição no seu fluxo, se sentirá fraco e estará mais vulnerável a doenças. Quando está alta, e fluindo livremente, dificilmente adoecerá e sentir-se-á forte, confiante, e preparado para enfrentar a vida.
Recebemos KI pelo ar que respiramos, pela comida, luz solar, e pelo sono. É possível também aumentar nossa KI usando exercícios de respiração e meditação ( mais conhecidos pelos Hapkidoistas como TANJON HO HUP). A KI é usada por artistas marciais no seu treinamento físico e desenvolvimento espiritual (principalmente no Hapkido). É usada em exercícios de respiração meditativos chamados Prana-yama, e para adivinhação, ciência, e manifestaçòes de cura psíquicas. Todos os curandeiros trabalham com a energia KI, embora cada um a chame e a entenda como quiser.

KI, Como Energia Psíquica

Um atributo importante do KI, já mencionado, é que ela responde a pensamentos e sentimentos. A força do fluxo de KI sobre um organismo é diretamente proporcional à qualidade dos pensamentos e sentimentos do indivíduo. São nossos pensamentos e sentimentos negativos que causam interrupções no fluxo de KI. Os locais onde pensamentos e sentimentos negativos se concentram é onde o fluxo de KI se restringe. Nesses pontos o organismo funciona mal e podem surgir doenças.
Deve ser compreendido que a mente não existe apenas no cérebro; este é apenas seu centro funcional, mas o sistema nervoso estende a consciência e subconsciência a cada órgão e tecido do corpo. Ademais, a parapsicologia sabe que a mente se estende num sutil campo de energia de cerca de 60 a 90 centímetros chamado Aura. Por causa disso, não se pode analisar separadamente a mente do corpo, já que estão tão ligados. Tal como o estado da mente é influenciado pelo estado do corpo, este é influenciado pelo estado de espírito. Isso são fatos; se são conseqüências do chi é uma questão de crença.
O maior problema são os pensamentos e sentimentos negativos alojados no subconsciente, pois não estamos cientes deles e portanto não podemos mudá-los ou eliminá-los por nós mesmos. É aí que entra a cura por Reiki, por exemplo. Sua doutrina alega que, através de suas técnicas, a KI é guiada pela Consciência Divina, portanto sabe exatamente a onde ir e como responder a restrições no fluxo de KI. Ao fluir numa área sem saúde, a Reiki “lava” quaisquer pensamentos e sentimentos negativos e os elimina, independente de o indivíduo conhecê-los ou não.

Reiki: KI Universal

Reiki hoje em dia refere-se a uma técnica de canalização manual de KI para fins curativos e está se difundindo pelo mundo.
Rei significa: espíritos em geral; o aspecto espiritual do ser humano em oposição ao físico; espírito (dos mortos), fantasma, alma; qualquer coisa relativa aos falecidos; bondade, bom, excelente, eficaz; esperto; vida; um ser vivo, um ser humano; divino, carismático, sobrenatural, misterioso; a luminosidade do espírito, de um deus ou de um sábio; habilidade espiritual inconcebível, poder carismático, carisma, maravilhoso, uma maravilha; uma pessoa ou ser com poderes espirituais ou sobrenaturais, um ser ou fera sobrenatural (mítico).
Os místicos do método de cura Reiki afirmam que numa idéia mais profunda e completa Rei representa a Consciência Superior (Deus, ou Tao, no caso) e chamam Reiki de variações da expressão Energia de Força Vital Universal ou Cósmica.

Touki: KI de Luta

A filosofia de diversas modalidades de artes marciais fundamentam-se no controle do KI para aumentar a resistência e força físicas a níveis extraordinários (HAPKIDO, Kung-fu, Aikidô) ou apenas para manter a saúde (Tai-chi). O KI pode ser empregado como KI de luta (tou-ki, geralmente traduzido como ‘espírito de luta’) e é manipulada em ataques na forma de energia mágica.
O Ki está intimamente ligado à progressão do praticante nas Artes Marciais, um dos mais simbólicos temas é o Kihap que simboliza a União das Energias (Ki = Energia + Hap = União, o mesmo que KIAI em japonês) consistindo numa explosão de energia do Dan-jeon (baixo-ventre) que vai alimentar o corpo culminando com a verbalização dessa mesma energia.

No entanto nas Artes Marciais o “Kihap” é moldado para ser utilizado como o “ponto final de cada frase”, é a apoteose de um movimento desferido com velocidade, força, concentração e precisão.

Kihap é também usado para concentrar energia no Dan-jeon, nesta altura a verbalização ocorre aquando da acumulação até ao pico… podendo então sucederem-se duas situações: o desferir do golpe ou armar da defesa sem verbalização, ou uma verbalização limite que canaliza o pico de energia para determinada zona do corpo.

O KI excepcional é o Terceiro Olho

KI flui incessantemente por todo o Universo; porções de energia fluem para dentro dos organismos vivos e depois para fora, sendo substituídas por outras que seguem seu fluxo. A energia que deixa um organismo tem suas propriedades modificadas pelo ser pelo qual fluiu, carregando uma memória física e espiritual dele. Assim, pessoas podem ser rastreadas por suas emanações. O fluxo de KI num organismo é atrapalhado por doenças e ferimentos (tanto físicos como espirituais), de forma que o organismo perde vitalidade. A energia que consegue fluir vai lentamente curando os males, mas, quanto pior forem os males, menos energia fluirá, e mais demorada será a cura.
O total de energia que um organismo retém é referido como a KI física ou KI corporal. É a força vital básica do ser, e seu esgotamento completo causa sua morte. Formas de vida superiores, desenvolvem uma manifestação superior de força vital, que é a vontade. Isso lhes permite reter mais energia que o normal, um KI excepcional, que os envolvem como uma aura. Possuir KI excepcional significa ser mais forte, robusto, ágil, veloz e perceptível em corpo e espírito do que a biologia normalmente permite à sua espécie.
Naturalmente, a aura retém propriedades adquiridas do organismo que a retém, de forma que pessoas capazes de sentir e enxergar auras podem perceber dela diversas características do ser que ela envolve. Pode-se dizer que a aura é a manifestação do espírito neste plano material; aura é espírito, mas espírito não é apenas aura. De fato, no misticismo zeny-xianês, conhece-se dois tipos de espírito: o espírito superior e o espírito inferior. O espírito superior é a alma, a força vital e essência de um ser, enquanto que o espírito inferior é a consciência, ou seja, a vontade e a memória. Em vida, estes dois espíritos encontram-se casados e inseparáveis. A condição de morte consiste justamente na separação dos dois espíritos, pois sem os dois nenhum ser é completo.
Mas retornemos à KI excepcional. Um indivíduo dotado de KI excepcional pode ter certas capacidades físicas e espirituais melhores que outro indivíduo dotado da mesma quantidade de KI excepcional, mas neste caso outras capacidades do primeiro são inferiores às mesmas do segundo. Isto acontece porque a distribuição da KI pessoal de um indivíduo não é, necessariamente, igual à distribuição da KI pessoal de outro indivíduo.
Indivíduos dotados de KI excepcional podem aprender a usá-la para realizar fenômenos extraordinários, vistos como mágicos ou sobrenaturais pelas pessoas comuns. Pode-se canalizar KI para outra pessoa a fim de ajudar na sua cura, concentrar KI em pontos específicos do corpo para torná-los mais resistentes a danos e também aumentar sua capacidade de causar dano, ou mesmo emitir porções de KI para afastar ou pulverizar um alvo. Quando o espírito de luta de um indivíduo emerge, sua aura responde de acordo, fluindo com violência e brilhando intensamente (embora esse brilho não possa ser visto por pessoas comuns). Uma aura feita de uma quantidade descomunal de KI pode esmagar objetos através do qual flua. Com efeito, KI é poder.
Indivíduos suficiente hábeis podem transformar seu KI em outras formas de energia, como luz (radiação eletromagnética), magnetismo, eletricidade, gravidade, calor, movimento, até matéria. KI pode ser usada como energia bioquímica para alterar substâncias, matérias vivas inclusas. Pode ser usada até para distorcer o próprio tecido do espaço-tempo. Geralmente, cada indivíduo se especializa numa única forma de manipulação da KI, que é seu princípio técnico pessoal. Neste caso, todas as suas técnicas compartilharão do mesmo princípio, correspondente a um específico comprimento de onda da aura. Pessoas excepcionalmente inteligentes, criativas e intuitivas, entretanto, podem aprender diversos prinípios técnicos e, conseqüentemente, muitas técnicas.
Se a quantidade de KI pessoal é determinada pela vontade do indivíduo, o desenvolvimento dessa vontade resulta em mais KI, que por sua vez resulta em maior poder. Desenvolver a vontade através da superação dos próprios limites é a chave para o poder. Isso pode ser feito em batalhas mortais ou em treinamentos extremamente rigorosos, que ponham o indivíduo em situações de risco de vida que estimulem ao máximo sua concentração, resistência mental e espírito de luta.
No misticismo oriental, o corpo humano possui diversos pontos vitais, sendo os mais importantes deles os sete centros de energia chamados chakras. Os chakras são os núcleos de toda percepção e entendimento e estão dispostos em linha reta desde a base da espinha até o topo do cérebro, em ordem crescente de importância espiritual. Os cinco primeiros correspondem aos cinco sentidos que todos conhecemos bem; o sexto chakra, o terceiro olho, corresponde ao sentido paranormal, a percepção intuitiva; e, finalmente, o sétimo chakra corresponde à razão e à sabedoria.
Pode-se dizer que animais tem o terceiro olho mais desenvolvido que os humanos, sendo capazes de prever e escapar de terremotos e catástrofes naturais.
Quanto mais energia cada chakra possuir, maior será sua percepção. Assim, pessoas com KI excepcional invariavelmente possuem um terceiro olho mais capaz que pessoas normais. Tais pessoas são paranormais, sendo capazes de sentir KI com maior precisão e alcance que pessoas normais. Sim, pessoas normais (e também animais) sentem KI, embora fracamente: um frio na espinha quando se sente uma presença ameaçadora espreitando ou mesmo a hostilidade ou estranheza no ar de um local. Essa percepção costuma ser chamada percepção extrasensorial ou sensitividade. Pessoas altamente sensitivas tem intuição forte e premonições, e são capazes de enxergar coisas espirituais independentemente de olhos, o que resulta em visão espiritual de 360 graus. Outros poderes psíquicos são: transmissão e recepção de pensamentos por ondas telepáticas; e manipulação mental de objetos com os quais não se tem contato físico (telecinésia).




O PORQUE DO TERMO HAPKIDO TRADICIONAL? QUAL A DIFERENÇA ENTRE O TRADICIONAL E OS OUTROS ESTILOS DE HAPKIDO?

O termo HAPKIDO TRADICIONAL , foi criado para designar o HAPKIDO original, puro em sua essência,trazido da Coréia nos anos 70,oficialmente para o Brasil, pelo GRÃO MESTRE PARK SUNG JAE, Hapkido conhecido oficialmente pelo nome de JUNG DO KWAN ( ESCOLA DO CAMINHO CORRETO).
O HAPKIDO TRADICIONAL, é um estilo que se caracteriza por dar grande enfase à defesa pessoal, à sobrevivência e proteção do próprio praticante e a de terceiros, sem limitações de golpes, com uma disciplina rígida e respeito ao próximo .
O HAPKIDO TRADICIONAL, utiliza-se muito da aplicação de golpes em pontos específicos , conhecidos como pontos de pressão, que são os mesmos pontos utilizados no DO-IN, SHIATSU E ACUPUNTURA; pontos estes, que tiram a força e a energia do oponente ( independente de sua constituição física ) ao serem adequadamente aplicados.
NO HAPKIDO TRADICIONAL, você não tem adversários , e sim parceiros ou companheiros , que o ajudarão na lapidação e refinamento de suas técnicas.
Seu maior adversário , sempre será você.
O HAPKIDO TRADICIONAL, se diferencia da maioria dos outros estilos encontrados aqui no Brasil, devido à este não ter sofrido adaptações e modificações pessoais , para satisfazer o gosto de cada um.
No Brasil alguns estilos , em sua grande maioria, na verdade são misturas de diversas artes marciais e lutas praticadas por Mestres que dão enfase à competição esportiva ( combate) , e acabam criando uma versão pessoal de Hapkido , que mais se assemelham à uma junção de Jiu-Jitsu com Karate de Contato ( duas grandes artes marciais, mas que nada tem a ver com o Hapkido) , somados à alguns poucos movimentos de defesa pessoal ( justamente por estes mestres não terem o conhecimento profundo da arte original, Hapkido. São os denominados ” curiosos” em diversas artes) , e que acabam por muitas vezes confundindo o leigo.
O grande problema do Hapkido , é que o mesmo não possui uma entidade suprema que o controle , e assim muitos acabam criando suas próprias organizações e estilos .
Por esse motivo, muitos “inventores” criam um sistema de luta , ( mais parecidos com o vale-tudo ou o M.M.A. ) , e o denominam como Hapkido .
O que tem que ser esclarecido aqui, é que todas as escolas ( as sérias e honestas), tem o seu devido valor e reconhecimento.
E que o iniciante entenda que existem diversos estilos de Hapkido , e que cada estilo atende à um tipo especifico de público.
O que devemos alertar à todos que querem saber um pouco do que é o Hapkido em sua essência , é que a arte , em sua versão original oriunda da Coréia , de nada tem a ver com vale-tudo , M.M.A. , e muito menos que ela seja a arte dos Ninjas coreanos, justamente porque tal grupo sequer existiu na Coréia.


Texto do amigo Eduard Vorrath (http://sites.google.com/site/hapkidobutanta/esclarecimentos)

Livro:

HAPKIDO: O CAMINHO DA ENERGIA COORDENADA – PAULO CALDAS JR.


Elaborado pelos amigos à frente da ANHT, este livro apresenta, para leigos e iniciados, a arte do Hapkido, com clareza e objetividade.



Clique aqui para comprar


Descrição:
Este livro é dedicado a todos os praticantes de Hapkido, que duramente contribuem com o desenvolvimento e a divulgação desta nobre arte marcial.
Hapkido é uma palavra originalmente formada pela junção de três outras: Hap (Coordenação), Ki (Energia) e Do (Caminho). Assim pode ser definido como “caminho da energia coordenada”, dentre outras formas. Esta arte é, por excelência, a de defesa pessoal. Seu amplo repertório técnico é formado por diversas formações técnicas.



O dia do Hapkido

Como não havia ainda nenhum dia específico para isso no calendário, surgiu, no ano de 2004, a idéia de se criar uma data comemorativa para o Hapkido no Brasil.
A Liga Nacional de Hapkido, através de votação via internet, escolheu um dia que tivesse alguma representatividade para a nossa arte.
Entre as alternativas, estavam algumas datas como a chegada do Hapkido no Brasil, data da primeira academia de Hapkido no Brasil, e também outras foram cogitadas, como o primeiro treino, a primeira apresentação realizada no quartel de Quitaúna (em Osasco-SP, onde tudo começou), dentre outras.
Ao final desse pleito, chegamos (digo chegamos porque tive o privilégio de fazer parte da diretoria da entidade, participando também desse projeto) à democrática decisão de escolher o dia 25 de janeiro como o dia do Hapkido. E por quê?
Porque nesse dia, no ano de 1973, o Grão Mestre Park Sung Jae realizou o primeiro exame para faixas pretas em solo brasileiro!


Placa afixada no monumento ao Hapki-do em Quitaúna (Osasco-SP)



Dessa turma, ainda temos hoje na ativa o Mestre Marcílio Nogueira, à liderança da Associação Nacional de Hapkido Tradicional.



Após a definição dessa data, surgiram em SP as primeiras atividades comemorativas.
Logo em seguida, outros estados também se mobilizaram em divulgação dessa data.
Congratulações aos membros daquela turma de 1973, pois foi um passo importante para a consolidação do Hapkido em solo pátrio!
Esperamos que em 2011, esse dia seja grandioso, e comemorado com alegria entre todos os praticantes!


O HAPKIDO e Jackie Chan

O Hapkido de Jin Pal Kim, “o Tigre Voador”, e seu aluno Jackie Chan
Jackie Chan não treinou apenas Kung-fu…Dentre tantas artes marciais que Jackie já treinou, ele também treinou Hapkido. Seu mestre foi o fantástico Pal Kim, mais conhecido como “Tigre Voador”. Esse texto é uma versão do texto original “Hapkido para as estrelas: O treinamento de Jackie Chan e outras estrelas dos filmes de Hong Kong” de Jane Hallander.


Pal Kim e sua técnica
Você alguma vez já se perguntou onde as estrelas dos filmes de ação de Hong Kong Jackie Chan, Angela Mao, Carter Wong, e Sammo Hung tiveram seu treino de artes marciais? Não foi de um sábio mestre de Kung-Fu que se especializa em técnicas “secretas”. Na verdade, estes quatro atores, assim como outras estrelas, aprenderam suas técnicas de luta com um instrutor sul-coreano especializado em Hapkido. Este mesmo é uma estrela do filmes de Hong Kong. O nome do mestre é Jin Pal Kim, um instrutor muito bem qualificado e treinado pelo “fundador” do Hapkido Ji Han-Jae. Nos anos 60, Kim foi membro do serviço secreto das forças defensivas, comandado por Chung Hee, e em 1966, pegou o emprego de guarda-costas pessoal do então presidente dos Estados Unidos Lyndon B. Johnson durante sua visita a Coréia do Sul. Em meados dos anos 70, foi para Hong Kong, abriu uma escola de Hapkido e entrou para o ramo artístico. Kim, que hoje vive em Westminster, California, estrelou em 8 filmes de artes marciais, todos produzidos pela terceira maior companhia de filmes de Hong Kong, a Kai Fa Productions.

O Tigre Voador
Kim é bem preciso em técnicas de chute, o que lhe rendeu muitos alunos artistas em sua escola de Hapkido Kowloon. Antes de Bruce Lee estourar nas telas, a maioria dos filmes de Hong Kong mostravam chutes de baixa a média altura. Mas Lee excitou sua platéia com chutes bem altos, ou chutes com pulos, criando uma demanda de novas e mais dinâmicas técnicas para os filmes de artes marciais. “Nos dias de hoje, a maioria dos filmes de artes marciais de Hong Kong contém apenas armas tradicionais de Kung-Fu e técnicas baseadas em diversos animais tiradas das formas de animais do Kung-Fu,” Nota de Kim. “Seus punhos eram fortes e rápidos o bastante, mas faltava algo para que as lutas parecessem mais realísticas. Então Bruce Lee apareceu e nomeou seu próprio estilo com chutes altos, rápidos e com pulos que aprendeu com o mestre do Tae Kwon Do Jhoon Rhee. A platéia gostou tanto do novo estilo, que os outros artistas não tiveram outra escolha, se não aprender técnicas coreanas.” Kim, que combina velocidade, mente e corpo para dar chutes perfeitos, também gosta do seu sucesso entre a audiência de Hong Kong. Seu estilo de chutes altos era tão popular que ele recebeu o apelido de “Tigre Voador”, um título que depois virou o nome de sua escola.

Bruce Lee com o jovem Jackie Chan, em Operação Dragão, de 1973.

Jackie Chan treina o Hapkido
Segundo Kim, a maioria dos estilos de Kung-Fu não usam a perna de base como pivô, dificultando os chutes altos. Embora seus chutes baixos sejam efetivos, eles não têm chances de competir com a técnica de Bruce para aparecer nas telas. Os estilos tradicionais chineses não contém pulos, vôos ou tesouras feitos de várias maneiras nos filmes de artistas como Jackie Chan e Sammo Hung. Chan, Hung e Mao começaram na ópera chinesa, um histórico com muitas acrobacias, artes marciais, cantoria e atuação. Chan começou a atrair a atenção do público nos anos 70 com seu filme de comédia e artes marciais “Mestre Invencível” (Drunken Master). Ele começou a treinar com Kim logo depois disso, e ainda atribui seu único treinamento oficial de artes marciais à Kim. “Quando Jackie veio pela primeira vez a minha escola, seus chutes não eram muito bons,” Diz Kim. “A maioria de suas cenas de dublê envolvem rolamentos e ginástica, técnicas que ele conseguiu na “Escola da Ópera de Pequim”. Contudo, com sua flexibilidade e experiência, Jackie logo aprendeu Hapkido.” Chan recebeu a faixa preta em Hapkido, aprendendo tudo sobre a arte, e se especializando em defesas pessoais e técnicas de chutes. Ele também aprendeu facilmente manobras aéreas como voadoras, giratórios e tesouras aéreas.

Usando o Hapkido
O golpe favorito de Jackie é o chamado “A águia pula e pega sua vítima”. É uma técnica utilizada quando o oponente vem de frente, o artista marcial primeiro pula sobre o adversário, usando-o como se ele fosse um degrau de uma escada, depois ele ou dá um chute na cabeça do adversário, ou dá um chute guilhotina nas costas do oponente. Chan ensinou Hapkido para seus 20 membros do seu grupo de dublês. Chan coloca realismo em suas cenas de luta, e cada um de seus dublês sabem técnicas de chutes, vôos e quedas. Hoje, Chan é o ator mais cobiçado na Ásia, graças, em grande parte, ao seu treinamento de Hapkido com Kim. “Mesmo antes de ser famoso, Jackie foi uma das pessoas mais esforçadas que eu já conheci,” Diz Kim. “Ele levava o Hapkido a sério, praticando horas por dia.” Sammo Hung, conhecido pelo seu tamanho e por sua aparência inofensiva, é também um talentoso lutador. Ele foi à Coréia do Sul em 1973 para estudar diretamente com o mestre de Hapkido Ji Han-Jae, quando o público de Hong Kong queria chutes mais rápidos e altos. Quando Hung voltou para Hong Kong, continuou estudando com Kim.

Capa do filme HAPKIDO, de 1972.



Hapkido nos filmes
“Sammo Hung é incrívelmente flexível para um cara tão grande,” Kim relata. “Como Jackie Chan, Sammo ganhou essa flexibilidade na “Escola da Ópera de Pequim”. Ele não teve problema algum com qualquer chute de Hapkido ou técnica de arremesso.” O chute favorito de Sammo, repetido muitas vezes em vários de seus filmes, é um chute frontal duplo. Uma difícil técnica que exige que as duas pernas simultaneamente se levantem, executando assim o chute. Além disso, Hung virou “expert” em técnicas de derrubar e imobilizar do Hapkido. Angela Mao, que fez o papel da irmã do Bruce Lee no filme “Operação Dragão” (Enter the Dragon) é outra faixa preta de Kim. Com uma habilidade acrobática fenomenal devido ao treinamento na escola da ópera, Mao gosta de chutes giratórios, e treinou com Kim por mais de 2 anos. Carter Wong, outra estrela do cinema de Hong Kong, também passou anos na escola de Kim. Diferente dos outros, Wong estudou Karatê, e embora consiga dar chutes frontais e rotatórios efetivamente, ele prefere técnicas de mão. De acordo com Kim, uma das vantagens do Hapkido em termos de filmes, é que ele inclui uma grande variedade de técnicas com as mãos que encaixam perfeitamente nos filmes. Todos os estudantes de Kim estudaram técnicas com armas coreanas, e podem usar 1 ou 2 bastões contra o oponente. Podem até incluir os bastões às técnicas normais. O treino com os bastões foi fácil devido à experiência dos praticantes com outras armas do Kung-Fu. Da próxima vez que você assistir à um filme de Jackie Chan ou Carter Wong dando chutes altos e rápidos, perceba quantas técnicas são do Hapkido. É tudo devido ao treino com o mestre Jin Pal Kim.

Fonte
JCBR (www.jackiechanbr.cjb.net)





ETIQUETA NO DOJANG

01- Mantenha a sua higiene pessoal em dia, assim como as unhas dos pés e das mãos sempre limpas e curtas;
02- Manter o dobok (uniforme) sempre limpo e bem passado;
03- Alimentem-se sempre duas horas antes do treino, para não ter problemas de indigestão;
04- O praticante de HAPKIDO deve estar sempre atento durante as aulas, para evitar riscos de acidentes desnecessários;
05- Retire anéis, brincos, pulseiras, relógio, correntes e quaisquer outros objetos, que possam causar riscos de acidente, para você e para seus companheiros;
06- As conversas durante as aulas devem ser mínimas e restritas a um único tópico, HAPKIDO;
07- Em caso de dúvidas consulte sempre o Instrutor/Mestre, nunca um aluno mais graduado;
08- Os celulares devem estar sempre desligados, com exceção apenas aos alunos que trabalham na área da saúde, militares ou que esteja necessariamente com algum problema pessoal, devendo todos comunicar antecipadamente ao Instrutor/Mestre;
09- Caso esteja esperando uma ligação urgente, deixe o telefone da academia para contato;
10- Chegar com antecedência ao horário das aulas, evitando chegar atrasado;
11- Se chegar atrasado, reverencie a bandeira e o local de treino, posteriormente o Instrutor/Mestre, que lhe dirá o que fazer, nunca cumprimente os companheiros durante o horário de aula, para não provocar tumultos e prejudicar o andamento das aulas;
12- Se precisar sair antes do término da aula, comunique antecipadamente o Instrutor/Mestre para ter a sua permissão;
13- O aluno de HAPKIDO deve se comportar da mesma forma dentro e fora do Dojang;
14- Ao chegar à academia reverencie primeiramente os Mestres, e posteriormente os demais Professores, Instrutores e companheiros de treino, procurando sempre respeitar a hierarquia;
15- Saudar a bandeira e o local de treino sempre ao início e ao término das aulas;
16- Sempre respeite os ensinamentos originados pelo Fundador do HAPKIDO, exatamente como foram transmitidos aos Instrutor/Mestre, sem questioná-los sobre suas formas e aplicações;
17- O respeito pela forma com que o Instrutor/Mestre dirige suas aulas, é de suma importância ao aprendizado do praticante, não cabendo em nenhuma situação momentos de contestações;
18- Cabe aos alunos ajudarem na limpeza e na conservação do Dojang e de toda a academia, como se estivessem cuidado de suas próprias casas;
19- Os ensinamentos do HAPKIDO não estão ligados a nenhum tipo de religião, devendo apenas o praticante ter em mente que a sua alma e seu espírito estarão sempre envolvidos num processo de refinamento. Quando nos curvamos ao reverenciar um outro praticante, Instrutor/Mestre ou bandeira, estamos apenas demonstrando um sinal tradicional de respeito;
20- Nunca utilize gestos obscenos ou palavras de baixo calão (palavrões), na academia;
21- Não trazer alimentos para consumir durante as aulas, principalmente balas, chicletes e salgadinhos;
22- Não venha para aula se estiver doente, procure tratar-se antes;
23- No início e término de cada aula de HAPKIDO, deve ser feita reverencia formal ao Instrutor/Mestre, como forma de agradecimento aos ensinamentos que lhe serão transmitidos. Sempre lembrando que os calcanhares devem sempre estar juntos, e os olhos voltados para baixo sempre que reverenciar Instrutor/Mestre, bem como a bandeira;
24- Não fume nas dependências da academia;
25- Não danifique os aparelhos de treino, os quais você mesmo vai utilizar;
26- Não use drogas, bebidas alcoólicas, ou qualquer substância do gênero, antes, durante e após o treino;
27- Troque de roupa somente no vestiário;
28- Não fique com brincadeiras durante o período de aulas;
29- O aluno é avaliado não só em sua técnica, mas também em seu comportamento, portanto atente-se a isso;
30- Nunca exija ou peça ao Instrutor/Mestre que ele passe novas técnicas. Tenha paciência, pois ele sabe exatamente o momento certo para passá-las a você;
31- Nunca faça comentários e críticas, sendo elas boas ou ruins, das técnicas aplicadas por seus colegas de treino. Lembre-se que seu comportamento esta sendo avaliado;
32- Não use as técnicas do HAPKIDO para prejudicar outras pessoas, ou como uma maneira de aumentar o seu ego pessoal;
33- Evite argumentar um erro ou deficiência técnica. Se o Instrutor/Mestre o corrigir, seja humilde e aceite a critica em silêncio. Ele esta no Dojang para ajudá-lo;
34- Não falte com respeito para com seus Instrutor/Mestre, companheiros de treino e para com o HAPKIDO;
35- Respeite os outros e a si mesmo, para poder ser respeitado.

*OBS: Essas regras visam o bom andamento do treino. O descumprimento, dependendo da gravidade, esta sujeito às punições determinadas pelo Instrutor/Mestre que coordena o Dojang.



HAPKIDO, HAPKI-DO, HAP KI DO, HAP-KI-DO…

Muito já ouvi comentarem sobre as formas de grafia de nossa arte.
Em termos gerais, vemos hoje, amplamente utilizada a forma HAPKIDO.
Essa forma, que aos poucos vai se uniformizando entre vários meios, tende a “globalizar” o termo, igualando a grafia com a de deiversos países (entre eles os EUA, com o qual a maioria procura se adequar).
Em nossa vivência tradicional, usa-se a forma HAPKI-DO (sufixo separado). Essa forma é comum em diversas artes marciais, porém, nem sempre é usada e/ou aceita dessa forma. Por exemplo, o Judô agrupou o sufixo ao nome. O Tae Kwon Do o separou. O Karatê-Do geralmente o omite. Kendo, Gumdo, Qwan Ki Do, Bushido, são tantas formas e exemplos que podemos passar muito tempo discutindo essa questão.
HAP KI DO, HAP-KI-DO… tornaram-se grafias diferenciadas justamente para dar identidade à um determinado estilo, não fugindo de seu real significado.
Em suma, hoje temos em nosso meio, duas vertentes mais usadas: o HAPKIDO, pelo aspecto de globalização, e o HAPKI-DO, pelo aspecto tradicional de nosso estilo.

12 comentários sobre “Curiosidades

  1. ja ah um tempao atras teve uma apresentação aqui na escola onde estudo,
    contamos com a presença do mestre sereno, e varios professores,
    na epoca eu ainda era faixa amarela

    os professores leonardo e o hueverson
    q organizaram.

    se vc qiser visitar meu orkut para ver algumas fotos
    o endereço é cleverton_palhacinho@hotmail.com

  2. muito bom
    meu nome é cleverton
    sou faixa azul de hapkido

    os conteudos deste blog sao otimos,
    para quem quer saber um pouco mais do hapkido

  3. Muito interessante e bem elaborado site, fica aqui meu mais sincero abraço a todos praticantes de Hapkido, como eu amo a arte. Hapki aos amigos.

  4. Fala Wilsão.

    Desejo a vc e seus colegas da Associação Jinsil muito sucesso e um ótimo ano para todos nós , que fazemos parte da mesma origem.
    O nosso ideal em comum continua de pé. Sempre defendendo a parte boa do HAPKIDO, e dando valor ás pessoas que praticam de verdade, independente de graduações. Afinal , pessoas supergraduadas sem conteudo estão aos montes, mas grandes Mestres de verdade,são apenas para alguns poucos.
    E, felizmente ,somos privilegiados de treinarmos com Mestres, com M de verdade.

    Abraço

    Eduard

    • Valeu, Eduard!
      É, nossa luta é contínua… que Deus nos conduza sempre por caminhos de vitória, dentro e fora do tatame!
      Desejo um excelente 2011 a vc e aos seus!
      E que o HAPKIDO se torne cada vez maior e mais forte, através de nossas mãos!
      Grande abraço, meu amigo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s