A importância do alongamento no Hapkido


Uma parte de nossos treinamentos, extremamente importante, e muitas vezes negligenciada (isto é, praticada sem a devida atenção), é a que trata dos exercícios de alongamento e flexibilidade.
Mas, qual a diferença entre ambos? Aparentemente, não distinguimos as diferenças.
Mas dentro do Hapkido, é importante conhecermos essas diferenças, afinal, em nossos treinos são comuns movimentos de grande amplitude, chaves, imobilizações, que sempre exigem muito de nossas articulações e musculatura.

Todas as artes marciais utilizam movimentos que de uma forma ou de outra necessitam da flexibilidade qualidades física muito comum a quase todos os esportes.
Quanto mais flexibilidade temos melhor e mais fácil podemos nos mover.
Quando sabemos como desenvolver a flexibilidade de modo correto, o treinamento passa a ser uma atividade divertida.
Primeiramente é necessário ter em mente que a flexibilidade não se desenvolve rapidamente, mas de forma lenta e progressiva.
Forçar demasiadamente a musculatura pode acusar distenções ou ate problemas mais graves.
Uma boa flexibilidade permite ao lutador a execução de um chute com grande alcance e menor esforço, conseqüentemente com menor gasto energético e maior eficácia técnica.
Com pouca flexibilidade, o atleta tende possuir menor equilíbrio ao aplicar um chute alto, imagine então aplicar uma seqüência dos mesmos.
Mesmo par lutadores que possuem preferência por chutes baixos, a flexibilidade continua sendo importante, visto que no decorer de uma luta, muitas vezes o adversário recua ou fica fora do raio de ação da sua distancia ideal. Neste caso, para podermos acertar o adversário, o chute devera ser executando utilizando-se um maior ângulo das pernas.
Dentre dessas razões e vantagens de se treinar o desenvolvimento da flexibilidade, a questão psicológica. Segundo esta teoria, o atleta flexível possui quase que total controle sobre os movimentos do esporte o qual é praticante, dessa forma, contribuindo muito para o engrandecimento da sua autoconfiança.
Sabendo da importância da flexibilidade para as artes marciais e esporte em geral, iremos agora aprofundar um pouco mais o assunto.

A diferença entre alongamento e flexibilidade.
Em suma, para se saber diferença as duas coisas, basta verificar que o alongamento termina no momento em que a flexibilidade é iniciada. Vamos simplificar com um exemplo pratico: se sentaremos abrimos as pernas ate um ponto Maximo, sem haver tensões muscular e permanecermos por 30 ou 40 segundos, estaremos fazendo alongamento. Entanto se abrirmos as pernas alem desse ponto Maximo, estaremos iniciando a tal flexibilidade.
O alongamento é uma posição natural sem risco de problemas musculares. Já a flexibilidade contem este risco. Alongar constantemente é o melhor método pra a manutenção da flexibilidade.
Antes de iniciar o treinamento da flexibilidade, deve-se reservar um horário especifico, com um aquecimento prévio da musculatura antes de iniciar a atividade.
Não é aconselhável fazer a flexibilidade após um treino forte e cansativo, muito menos após um treinamento de musculação (levantamento de peso).durante os exercícios de flexibilidade, deve-se permanecer em cada posição no Maximo cerca de 10 minutos, tentando ultrapassar o seu limite, é claro sem grandes excessos, para não causar distenções.
Por outro lado, o alongamento deve ser feito antes e depois de todas as seções de treinamento, mesmo que seja intensivo. A permanência de cada posição, ao alongar-se deve ser no Maximo 40 segundos para grande grupos musculares, como as pernas e as costas, e os de porte menor, como o pescoço e os braços no Maximo 30 segundos.
O alongamento antes de qualquer espécie de treino, prepara a musculatura para movimentos rápidos. E após auxilia na diminuição da fadiga e no relaxamento muscular.
Diversos fatores podem afetar o desenvolvimento da flexibilidade. Convém a cada individuo conhecer as suas limitações antes de Ada inicio a um treinamento apropriado de flexibilidade. Em síntese, sem maiores detalhes científicos estes fatores são: estado mental e físico, hereditariedade, idade, melhor horário do dia, sexo, temperatura. Alem desses fatores temos alguns mais específicos para os atletas:

Musculação e flexibilidade
O levantamento de peso faz com que a fibra muscular fique mais curta e grossa. A flexibilidade torna a fibra longa e afilada. Portanto, são dois tipos de treinamento opostos e sempre gerou polemica. Muitos possuem a idéia que a musculação diminui a flexibilidade, porem, não acontece desta forma. O erro esta no caso de atletas que apenas treinam a musculação, e não exercitam a sua flexibilidade. Se houver uma organização das partes do atleta, para um tratamento proporcional das duas partes, e bastante possível que adquira músculos grandes e flexíveis.

Velocidade e flexibilidade
Caso você seja flexível, na tentativa de aplicar chutes altos em seu adversário, sofrera um grande gasto de energético, já que terá uma considerável resistência no movimento perdendo, assim velocidade.

Flexibilidade com um parceiro ou mais
De preferência, deve-se escolher um parceiro com o mesmo nível de flexibilidade que o seu. Alguns perdem o incentivo quando praticam com alguém mais flexível. Os resultados são geralmente, lentos e tem a impressão de que não se esta progredindo em nada, comparando-se como parceiro. Entretanto, alguns adoram esta pratica, por estimular o fator competição, a eterna tentativa de se tornar-se melhor para superar o parceiro.

Lugar ideal
Na realidade, não existe um lugar especifico para a pratica da flexibilidade. O importante é escolher um lugar em que você se sinta bem e confortável. Com uma temperatura agradável, sem barulhos irritante, usar roupas leves e frouxas e fazer os exercícios nu solo liso e que não seja muito duro.

Divisão e escolha dos exercícios
A escolha dos exercícios varia de acordo com cada esporte, não devemos esquecer as outras partes do corpo que devem sempre ser trabalhada como um todo mantendo perfeito equilíbrio do mesmo.

Observações finais
Hapkido envolve torções, chutes, imobilizações… tudo isso exige de quem recebe preparo e resistência (isso quer dizer, alongamento SEMPRE).
Ou seja, não neglicencie essa parte importante do treinamento. Isso pode te poupar de futuras lesões.

Uma lição curiosa (história real), para concluir
Certa vez, conversando com meu mestre Guilherme Cauzin, comentei sobre uma certa dor incômoda nas costas.
De imediato, ele me perguntou se eu já tinha visto algum cachorro com a coluna torta… ou então mancando.
“Muito raramente”, respondi eu.
Assim, ele prosseguiu: “Você já observou qual é a primeira coisa que o cachorro faz logo que acorda? Ele se alonga… se espreguiça, estica-se para a frente e para trás, esticando as patas, a coluna… dessa forma, o cão leva o seu dia sem maiores complicações… as vezes o cão se envolve em brigas, atropelamentos, corridas com arrancadas repentinas, e na maioria das vezes, sai bem de tudo isso, justamente, porque ele preparou o seu corpo através do alongamento. Entretanto, o homem torna-se na maioria das vezes menos sábio do que um simples cachorro, porque não assimila essa lição, e se envolve fisicamente em atividades para as quais o seu corpo não recebeu esse mínimo preparo, tão simples e necessário”.

Fica a dica, pessoal!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s